Com Camilo Mortágua em Aveiro

b_500_400_16777215_00_images_actual_ajavcamilo2.jpg

O segundo volume da memória autobiográfica de Camilo Mortágua, “Andanças para a Liberdade”, foi ontem apresentado no Museu de Arte Nova de Aveiro, por iniciativa do núcleo local da Associação José Afonso.

Viriato Teles e Miguel Cardina, investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, falaram do percurso pessoal e político de Camilo Mortágua, que por seu lado lembrou alguns episódios da luta contra a ditadura em que esteve envolvido juntamente com Hermínio da Palma Inácio.

O coral Voz Nua, Rui Oliveira e Micaela Vaz também marcaram presença, com alguns apontamentos musicais, nesta apresentação, que faz parte do programa da AJA-Aveiro para as celebrações do seu 3º aniversário, que se assinala quase em simultâneo com os 40 anos da Revolução dos Cravos. À noite, pudémos ouvi-los de novo, Voz Nua e Rui Oliveira, desta vez “a sério”, no concerto que decorreu no auditório do departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro e que culminou com mais um grande espectáculo de José Medeiros.

Mais sugestões de leitura

  • Algumas opiniões Open or Close

    Excertos de opiniões publicadas na Imprensa acerca de Margem para Dúvidas.

    Ler Mais
  • Brancos costumes Open or Close

    Uma sondagem publicada na última edição do «Expresso» revela que a maioria dos portugueses é favorável à reciprocidade de direitos entre cidadãos nacionais e brasileiros, mas está contra a extensão do mesmo princípio aos africanos oriundos das antigas colónias.

    TSF | 8.Out.1997

    Ler Mais
  • Que homem é este? Open or Close

    A campanha eleitoral foi marcada pela recusa de Cavaco em responder a quaisquer questões de algum modo melindrosas para a sua imagem. Interrogado pelos jornalistas sobre as dúvidas levantadas por alguns dos seus negócios, limitou-se a dizer que eram «calúnias». Tanta aparente cobardia só pode ter uma razão: a criatura tem mesmo telhados de vidro, e está com medo que os portugueses descubram a tempo de correr com ele de Belém. Mas esta campanha foi também reveladora quanto aos traços de carácter deste homem que se acha acima de todos os outros.

    Ler Mais
  • 25 anos com Zeca Open or Close

    Nestes dias em que tanto se fala de José Afonso e do seu génio, gosto sobretudo de recordar que, para além da música, o Zeca era acima de tudo um homem. Um homem empenhado nas grandes lutas do seu tempo, com certeza, que procurou viver de modo integral – o que só se alcança quando se assume viver com as fragilidades, as virtudes, os defeitos, as grandezas e as contradições comuns a todos os homens.

    Ler Mais