Estranha Forma de Vida em reposição na RTP 2

efv1.jpg

Dois anos após uma estreia discreta em horário tardio, a série documental Estranha Forma de Vida regressou este Verão à televisão pública, numa oportuna reposição que pode ser vista, agora, na RTP 2, no horário nobre de 2ª a 6ª feira. Trata-se de «uma história da música portuguesa», contada a partir dos anos 30 do século XX até à actualidade.

A série, de 26 episódios e com versões específicas para rádio e para televisão, parte de uma ideia de Jaime Fernandes e começou a ser desenhada em finais de 2009, mas a produção só arrancou verdadeiramente em 2010 e prolongou-se ao longo de mais de dois anos. Tratou-se de um trabalho complexo, que envolveu a realização de entrevistas a quase centena e meia de protagonistas da história da música portuguesa: cantores, músicos, compositores, letristas, produtores, divulgadores, jornalistas e agentes, desde os mais antigos (Joel Pina, Carlos Menezes, Jaime Nascimento...) aos mais modernos (Boss AC, Rita Redshoes, Ana Bacalhau, Jorge Cruz...) e de todas as “áreas” musicais, do fado ao jazz.

Todos os episódios são ilustrados por imagens do Arquivo da RTP, algumas das quais absolutamente preciosas pelo ineditismo ou pela antiguidade. O valor histórico desta documentação resulta, também, do facto de, em muitos casos, essas imagens terem sido transmitidas uma única vez. Além destas imagens de Arquivo, todos os episódios incluem testemunhos de alguns dos grandes protagonistas da Música Portuguesa.

António Macedo, João Carlos Callixto e Viriato Teles assinam a maior parte dos textos do "roteiro" da série, que contou também com as participações de Henrique Amaro, João Gobern, Nuno Galopim, Nuno de Siqueira e Vitor Duarte Marceneiro. Da vasta equipa que concebeu e concretizou este projecto juntamente com Jaime Fernandes, é justo destacar o trabalho de produção de Eva Verdú e Paula Paiva e o empenhamento da equipa técnica da RTP.

Para a concretização desta Estranha Forma de Vida foram visionadas cerca de mil cassetes vídeo e mais de mil horas de imagens. Em contrapartida, para o Arquivo da RTP foram entretanto canalizadas cerca de 300 horas de entrevistas gravadas algumas das quais podem revelar-se de grande importância para a produção de Programas Especiais pela RTP.

Deste programa foram feitas duas montagens distintas: uma edição para Televisão, que estreou na RTP 1 em Setembro de 2011, e uma edição para Rádio, que estreou na Antena 1 em Novembro do mesmo ano. Do projecto inicial, fazia parte igualmente a edição deste documentário em dvd, o que ainda não se concretizou. Entretanto, a série encontra-se disponível, em versão integral para ambos os formatos, no portal da RTP.

Estranha Forma de Vida (Edição TV) | Estranha Forma de Vida (Edição Rádio)

Autoria e apresentação de Jaime Fernandes | Textos de António Macedo, Henrique Amaro, João Carlos Callixto, João Gobern, Nuno Galopim, Nuno de Siqueira, Vitor Duarte Marceneiro e Viriato Teles | Entrevistas por António Macedo e Viriato Teles | Pesquisa de Arquivo por João Carlos Calixto | Produção de Paula Paiva e Eva Verdú | © RTP 2011
Primeira apresentação da versão TV: de 21.Set.2011 a 4.Jul.2012 (RTP 1)
Primeira apresentação da versão Rádio: de 5.Nov.2011 a 2.Jun.2012 (Antena 1)

Mais sugestões de leitura

  • À flor das cidades Open or Close

    Viriato escreve como se estivesse de partida para mais um combate que vai perder. Como se interminavelmente esperasse a amada num bar da Havana velha sabendo que a amada não vai empurrar os batentes. Viriato sabe que a revolução é um lírio da Mesopotâmia. Na interminável espera, Viriato escreve, talvez em toalhas de papel. Mas não desespera.

    Ler Mais
  • Crime e castigo Open or Close

    A notícia da detenção, em Londres, do antigo ditador chileno Augusto Pinochet tornou-se no principal acontecimento deste fim-de-semana – e por pouco não conseguiu secundarizar o discurso de duas horas e meia de Fidel Castro no comício de solidariedade com Cuba, em Matosinhos.

    RCS | 19.Out.1998

    Ler Mais
  • Há ratos na exposição Open or Close

    O desvio de cerca de um milhão de contos dos cofres da Exposição Mundial de Lisboa é a prova definitiva de que o portuga médio não dá ponto sem nó e aproveita todas as oportunidades para sacar algum. Depois das Descobertas, de Macau e dos fundos europeus, chegou a vez de a Expo 98 dar de comer a mais uns quantos tubarões. Que nem sequer vivem no Oceanário.

    Grande Amadora | 21.Ago.1998

    Ler Mais
  • Uma esperança na escuridão Open or Close

    Há quem diga que é um prenúncio do fim do mundo, há quem pense que se trata de castigo divino, há quem ache que a culpa é da crise económica global. Não, não estou a falar do terramoto do Chile, nem dos massacres da Nigéria, nem da interminável guerra do Iraque, nem sequer dos sucessivos escândalos que ameaçam transformar Berlusconi no mais hilariante sucessor de Boris Yeltsin no anedotário europeu. Refiro-me antes a essa espécie de loucura branda que parece ter tomado conta do mundo e faz com que a humanidade aceite como naturais as mais incríveis aberrações sociais, políticas e económicas.

    Zoot | Primavera-Verão 2010

    Ler Mais