Praça da Europa fecha para obras

b_500_400_16777215_00_images_actual_peurop_int1.jpg

Por decisão pessoal do autor, entendida e aceite pela Direcção de Programas da Antena1, as emissões da Praça da Europa estão suspensas a partir de hoje.

No Facebook, Viriato Teles fez um balanço do caminho percorrido: 

Foram sete meses e 150 canções, através das quais procurámos lançar um olhar (ou será melhor dizer: um ouvir) sobre o vastíssimo património musical dos países da União Europeia. De Zaz a Pavarotti, passando pelos Sex Pistols e Joselito, Django Reinhardt e Benjamin Clementine, Eric Clapton e Nadine Axisa, Alessio Lega e Sauad Massi. E mais uma centena de vozes, de todos os géneros, idades e tempos.

Foram sete meses de muito trabalho, mas também de muito prazer, que devo, em primeiro lugar, a Rui Pêgo, director de Programas da Antena1, que acolheu e acarinhou a ideia desde o início, e aos meus camaradas Augusto Fernandes, que comigo co-editou cada emissão, e António Santos, cuja mestria tem sido demonstrada de modo superior nos diversos programas e rubricas da rádio pública por cuja sonorização é responsável. Mas também a todos os outros: aos músicos e cantores, aos que aplaudiram e aos que criticaram, aos amigos e companheiros de trabalho que, de um ou de outro modo, contribuíram para fazer desta Praça um lugar asseado e agradável (foi-o, pelo menos para mim).

E agradeço, sobretudo, aos Ouvintes, particularmente àqueles que seguiram mais atenta e criticamente a Praça da Europa. Gostei muito de vos ter por perto neste espaço de convívio à esquina da música.

Voltaremos a encontrar-nos, com certeza, um dia destes. Mais cedo do que tarde, assim o espero.

Até lá, é possível ouvir de novo no RTP-Play todas as emissões da Praça da Europa.

Praça da Europa
Autoria: Viriato Teles | Edição: Augusto Fernandes e Viriato Teles | Produção: António Santos | Antena 1 (7.Set.2015 a 9.Abr.2016)

Mais sugestões de leitura

  • A solução para a crise Open or Close

    Para começo de ano mau, isto está bom. Em poucas semanas, o desgoverno dos comissários da troica conseguiu provar aos mais descrentes que não há mesmo limites para a criatividade. Se lhes desse para o bem, Portugal seria fantástico.

    Ler Mais
  • Um sonho para cumprir Open or Close

    Há pessoas assim: capazes de observar e transformar a realidade à medida das utopias e dos desejos, conhecedores profundos da natureza humana, das suas contradições e fragilidades.

    Américo Teles – In Memoriam
    Edição GAMI 1990

    Ler Mais
  • Brancos costumes Open or Close

    Uma sondagem publicada na última edição do «Expresso» revela que a maioria dos portugueses é favorável à reciprocidade de direitos entre cidadãos nacionais e brasileiros, mas está contra a extensão do mesmo princípio aos africanos oriundos das antigas colónias.

    TSF | 8.Out.1997

    Ler Mais
  • A princesa das ilhas Open or Close

    A música de um lugar reflecte sempre as características do povo que nele habita, e talvez por isso as toadas açorianas tenham por regra um toque de nostalgia muito próprio das ilhas, misturado com a força de quem se habituou desde sempre a conviver de um modo singular com as forças da natureza. (...) É essa essência que Helena persegue e alcança neste disco. À voz clara da cantora acresce a riqueza dos arranjos, vocais e instrumentais, a excelência da execução musical, o rigor da produção – a cargo de um músico sobre quem a proximidade familiar me impede de tecer grandes considerações, de resto desnecessárias: o trabalho está aí para que cada um possa avaliar. Basta saber ouvir.

    Introdução ao CD EssênciasAcores, de Helena Oliveira | 2011

    Ler Mais