Com Camilo Mortágua em Aveiro

b_500_400_16777215_00_images_actual_ajavcamilo2.jpg

O segundo volume da memória autobiográfica de Camilo Mortágua, “Andanças para a Liberdade”, foi ontem apresentado no Museu de Arte Nova de Aveiro, por iniciativa do núcleo local da Associação José Afonso.

Viriato Teles e Miguel Cardina, investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, falaram do percurso pessoal e político de Camilo Mortágua, que por seu lado lembrou alguns episódios da luta contra a ditadura em que esteve envolvido juntamente com Hermínio da Palma Inácio.

O coral Voz Nua, Rui Oliveira e Micaela Vaz também marcaram presença, com alguns apontamentos musicais, nesta apresentação, que faz parte do programa da AJA-Aveiro para as celebrações do seu 3º aniversário, que se assinala quase em simultâneo com os 40 anos da Revolução dos Cravos. À noite, pudémos ouvi-los de novo, Voz Nua e Rui Oliveira, desta vez “a sério”, no concerto que decorreu no auditório do departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro e que culminou com mais um grande espectáculo de José Medeiros.

Mais sugestões de leitura

  • Cantar ao SulOpen or Close

    Com a tranquilidade que sempre o caracterizou, Janita Salomé não desiste de levar por diante a sua música, feita de muitas memórias antigas misturadas com novas sensações. Na certeza de que "existe uma linguagem própria, nossa, e essa é que é necessário procurar, preservar e recriar". Por uma questão de identidade, contra a estética totalizante do hamburguer. Porque, como se percebe ao longo desta conversa, a música é como os vinhos: os mais divulgados e mais consumidos não são necessariamente os melhores.

    MPP | Set. 2001

    Ler Mais
  • Há ratos na exposiçãoOpen or Close

    O desvio de cerca de um milhão de contos dos cofres da Exposição Mundial de Lisboa é a prova definitiva de que o portuga médio não dá ponto sem nó e aproveita todas as oportunidades para sacar algum. Depois das Descobertas, de Macau e dos fundos europeus, chegou a vez de a Expo 98 dar de comer a mais uns quantos tubarões. Que nem sequer vivem no Oceanário.

    Grande Amadora | 21.Ago.1998

    Ler Mais
  • Saudosa tertúliaOpen or Close

    Verdadeiro mestre de apresentações, Viriato Teles elabora, antecedendo as entrevistas, a descrição das personalidades, define-as biograficamente e expõem-nas no efeito que, presencialmente, lhe provocam . Também no decorrer das entrevistas, para além dos assuntos tratados, o jornalista faz o retrato dos entrevistados, retratos humanos totais, com alegrias e desencantos, projectos e nostalgias, ganhos e perdas. Como o autor já nos habituou, a prosa é quente, reveladora e cúmplice do leitor, como se também este fosse conhecido de Viriato Teles; mais um mistério só possível quando se tem a intuição de um grande escritor.

    Ler Mais
  • Contas sem ajusteOpen or Close

    Contas à vida sem ajuste. Mais cansaço do que desalento. Mais sonho adiado do que utopias erradas. Mais que documentos são testemunhos estas vinte entrevistas: uns, mais intimistas; outros, mais interventivos. Encontramos neste livro um universo multifacetado, mas que tem uma matriz política, ética, estética e cultural, o 25 da nossa memória, como que pequenos afluentes que vão desaguar no grande rio.

    Ler Mais